Restaurante Egípcio Koshary Abou Tarek

AbouTarek
Arroz, macarrão, lentilha, grão de bico e cebola frita. Tudo isso regado com um suculento molho de tomates. Deu água na boca?

Esse é o koshary, tradicional comida que não pode faltar na mesa dos egípcios. É como se fosse o arroz e feijão para nós, brasileiros. A aparência não é tão boa, mas o gosto posso lhe garantir que é muito bom.

No Egito ele é tão popular que alguns restaurantes se especializaram e só possuem no cardápio esse prato. É o caso do Koskary Abou Tarek, um restaurante de 4 andares tipicamente egípcio que recebe poucos turistas. É curioso perceber que todas as vezes que fui a televisão estava ligada em algum canal que exibe ao vivo a movimentação perto da Caaba, a pedra negra que fica em Meca, na Arábia Saudita.

Os garçons são super atenciosos e alguns falam inglês. O atendimento é rápido e muito barato. Para se ter uma ideia, em junho de 2015 o prato médio estava 10 libras egípcias e o grande 15 libras egípcias.  Ele é próximo ao Museu do Cairo, porém os bares, o comércio e a sujeira da rua assusta um pouco, mas não deixe de ir.  Certamente é uma opção deliciosa e barata para quem gosta de vivenciar também a culinária local.

O canal de notícias norte-americano CNN fez uma matéria especial no restaurante. Confira:

Serviços:
Koshary Abou Tarek
16 St. Champolion – Cairo
Facebook: Koshary Abou Tarek

Remédios em Viagem

1431629602_1384
Algo que temos que ficar muito atentos é a questão de remédios em viagem. É importante que você tenha com eles um cuidado redobrado, pois não é garantia de que em outros países você encontrará os mesmos medicamentos e que poderá comprá-los sem um pedido médico.

A dica é sempre levar consigo a receita médica e todos os comprimidos em suas caixas originais e em bom estado. No caso de remédio controlado é bom levar também um laudo médico (em inglês) com o nome completo do passageiro, informando o motivo do uso.

Leve-os sempre com você na bagagem de mão. Não pense em hipótese alguma colocá-los dentro da sua mala de viagem, pois além de correr o risco de ter a mala extraviada, pode ser que você tenha alguma conexão no caminho.

Sim, essa última já aconteceu comigo! Certa vez em uma viagem para Bogotá, na Colômbia, tive uma conexão de 12 horas em Lima, no Peru. Viajante que sou, obviamente que já tinha um roteiro completo de diversão na cidade enquanto esperaria para embarcar.

Acontece que o meu voo sofreu uma despressurização, que é quando a aeronave perde a pressão. No mesmo momento senti uma dor insuportável na cabeça que desceu passando pelo ouvido até atingir o meu maxilar. Algo realmente inesquecível.

Quando desci do avião lembrei que meus medicamentos estavam na mala de viagem… Resultado: mesmo cheia de alergias, tive que me aventurar na farmácia, um risco.

Outro fator é o caso de overbooking ou um prolongamento da viagem. Neste caso, é importante que você leve uma maior quantidade dos medicamentos de uso contínuo.

Boa viagem!

 

 

 

Como chegar em Santorini?

Santorini Perissa Zanzemos

Só de olhar para as fotos de Santorini pelo Google já dá para se sentir perdido em meio a tanta beleza, porém é preciso ser prático e ter os pés no chão na hora de escolher a melhor opção para sair de Atenas e chegar até esse paraíso grego.

Bom, existem três opções. Para escolher uma delas, primeiro é preciso analisar friamente o quanto de tempo e dinheiro você terá disponível para a aventura no arquipélago.

blue  ..

Ferry – Blue Star Ferries – http://www.bluestarferries.com      

A primeira forma e a mais barata é o Ferry normal econômico. A viagem possui a duração de 8h e a passagem por trecho consultado ficou € 30,00* (cada trajeto). Preço tentador!!!

hellenic.
Ferry Rápido Hellenic Seaways – www.hellenicseaways.gr

Já a segunda é a lancha rápida. Ela custa um pouco mais, € 59,00* (cada trajeto) e o tempo de navegação é de 4h45.

aegean                   
Avião Aegean Airlines – www.aegeanair.com

A terceira opção foi a minha escolhida: avião. A Aegean é a maior companhia grega e opera a mais de 15 anos no mercado. Obviamente gostaria de guardar na lembrança a navegação no mar Egeu e a movimentação do porto de Piraeus, mas levei em consideração o tempo de voo: 45 minutos. Paguei dois meses antes da viagem o valor € 113,31* já com taxas (trajeto de ida e volta).

*Preços cotados dois meses antes para uma viagem em Junho/2015.

Grupo Contadores de Estórias de Paraty

TeatroDeBonecosParaty

Uma boa pedida para quem está de férias por Paraty é incluir em seu roteiro o espetáculo de teatro de bonecos do Grupo Contadores de Estórias.

O grupo foi fundado em 1971, na cidade de Nova York, nos Estados Unidos, pelos artistas Marcos e Rachel Ribas que, na época, viviam por lá. Após uma temporada de estudos e longas viagens, o casal decidiu instalar a sua sede na cidade de Paraty em 1981. Desde então é referência no Brasil quando o assunto é a arte dos títeres.

Em suas andanças, o grupo já se apresentou em 20 cidades ou estados do Brasil e encantou outros 15 países.

O teatro localizado em uma simples casa colonial no Centro Histórico da cidade abriga 94 lugares. Como é um trabalho minucioso, cheio de detalhes a dica é garantir um lugar nas primeiras fileiras. Para isso, é necessário ir em um horário mais cedo no dia da apresentação, pois no ato da compra você pode escolher sua cadeira.

Serviço:

Grupo Contadores de Estórias
De quartas e sábados, às 21h. (Baixa temporada)
De quartas, sextas e sábados, às 21h. (Alta temporada)
Teatro Espaço – Rua: Dona Geralda, 327 – Paraty-RJ – Brasil
Telefone: (24) 3371-1161
Site: www.ecparaty.org.br – Facebook: Grupo.Contadores.de.Estorias
Ingressos: R$ 50,00 – R$ 25,00 (meia-entrada)

Como tirar visto para o Egito?

photo 2

Empenhada nas pesquisas para a minha viagem ao Egito, fui surpreendida com a informação de que havia sido decretado que, a partir de maio de 2015, não seria mais permitido requerer o visto no Aeroporto Internacional de Cairo no momento do desembarque. Antes de iniciar o processo de solicitação de visto verifique se a exigência da solicitação em solo brasileiro ainda está vigente. 

A permissão deveria ser solicitada com antecedência junto a Embaixada do Governo da República Árabe do Egito, aqui no Brasil. Acontece que moro em São Paulo e na minha cidade existe apenas um escritório comercial onde não são emitidos vistos. Apenas Rio de Janeiro e Brasília possuem este serviço.

Ao ligar na cidade carioca, fui informada de que todo e qualquer assunto sobre visto deveria ser tratado pelo e-mail: consuladodoegito@yahoo.com. Assim o fiz.

Enviei as minhas dúvidas e recebi alguns minutos depois um e-mail padrão com todas as respostas e o formulário para ser preenchido. (Você pode baixar AQUI).

Para solicitar o visto é necessário:

– Passaporte com validade acima de 6 meses.

– 02 fotos 3X4 fundo BRANCO

– Certificado original internacional de vacina contra a febre amarela – ANVISA

– Formulário preenchido

– Taxa em espécie e valor exato. No caso de viagem com a finalidade de turismo paguei (para uma única entrada – 30 dias) R$115,00.

Além disso, você deverá enviar uma declaração de próprio punho dizendo que isenta o Consulado de qualquer responsabilidade.

photo 1

No envelope deve conter toda a documentação e mais um outro envelope já preenchido com o endereço de resposta. Preferi comprar um revestido internamente com plástico bolha para dificultar o acesso ao conteúdo.

Enviei pelo SEDEX 10 no dia 30 de março. No dia 1º de abril eles já estavam postando de volta o meu passaporte! Ida e volta (SP X RJ) saiu aproximadamente R$ 80,00. Os valores devem ser pagos pelo requerente.

Cheguei a solicitar uma cotação em uma empresa especializada em vistos e o valor cobrado seria o mesmo e mais uma taxa de R$200,00 pela tramitação.

Sim, confesso que achei um pouco complicado ter que enviar meus documentos originais pelo Correio, porém resolvi arriscar. No geral achei bem tranquilo o procedimento e a agilidade deles em responder os e-mails acabam transmitindo uma maior segurança.

Serviço:

Embaixada da República Árabe do Egito em Brasília
Embaixador: Hossam Eldin Mohamed Ibrahim Zaki
SEN Av. das Nações Lote 12 – Cep: 70.800-914 – Brasília, DF
Telefone: +55 61 3323-8800, Fax: +55 61 3323-1039
E-mail: embassy.brasilia@mfa.gov.eg

Consulado do Egito no Rio de Janeiro
Cônsul: Youssef Moustafa Zada
Rua Muniz Barreto, 741 – Botafogo – Cep: 22.251-090 – Rio de Janeiro, RJ
Telefone: (21) 2554-6664, Fax: (55 21) 2552-8997
E-mail: consuladodoegito@yahoo.com

Escritório Comercial do Egito em São Paulo
Cônsul Comercial: Alaaeldin Hussien Aly Mohamed Radwan
Av. Paulista 726, 8º andar, Conj. 802 – Cep: 01.310-910 – São Paulo, SP
Telefone: (55 11) 3284-8184, Fax: (55 11) 3283-5187
E-mail: saopaulo@tamseel-ecs.gov.eg

Site oficial: http://www.opendf.com.br/embegito/

Che Lagarto (Paraty-RJ)

Che Lagarto Paraty
Rua Benina Toledo do Prado, 22, Paraty-RJ
https://www.chelagarto.com

HostelEmParaty

Visão geral
| Ele tem tudo para ser um dos melhores hostels de Paraty. Ambiente agradável e limpo, equipe jovem, preço justo, café da manhã bom e quartos silenciosos.

Atendimento |  Obviamente que, um dos fatores que mais me faz gostar de um lugar é a maneira como me tratam no momento da recepção. Prezo muito pela apresentação do ambiente já que por se tratar de um hostel sempre esperamos algo mais humanizado. Bom, ao chegar fui recepcionada pela Gabriela. Pelo sotaque acredito que seja argentina (como não perguntei, não posso afirmar!). Simpática perguntou se eu estava procurando algo específico na cidade e já foi se preparando para me apresentar o mapa e as opções turísticas. Como Paraty é um lugar extremamente familiar para mim, recusei a ajuda. Logo foi me direcionando ao quarto, enquanto me mostrou os cômodos básicos, cozinha e sala de estar. Comentou sobre todas as atividades do dia e o horário em que era servido o café da manhã. Toda essa apresentação não durou nem dois minutos, ou seja, algo infinitamente simples que fez toda a diferença.

Pontos Positivos  |  Chaves com cartão magnético. Lençóis grossos e padronizados.

Quarto limpo e bem iluminado. Ambiente acolhedor, com mesas, almofadas e redes.

Café da manhã farto e variado.

Pontos Negativos |  Não existe um locker para viajantes que precisam fazer o check out e ainda permanecer na cidade até seu horário de partida.  Estimo demais por este tipo de serviço, pois ele acaba sendo um dos diferenciais para quem se hospeda em hostel.  As malas ficam expostas ao lado da recepção, sem nenhuma segurança e atrapalhando a passagem.

Localização | A localização é muito boa. O hostel fica bem próximo da parte histórica da cidade, cerca de 3 minutos andando.

Custo | R$ 54,00 para uma diária – Fevereiro de 2015.

Pontuação |

Votos5

Você sabe onde fica Vanuatu?

unnamed
Tive um professor na pós-graduação que dizia que para ser um bom jornalista de assuntos internacionais era preciso ter um mapa-múndi na cabeça. Parafraseando esse meu querido mestre acredito que, para ser um grande viajante é preciso também ter em mente os traços que dividem o mundo.

Assim, por acaso abri um link desses divulgados em grupos de turismo no Facebook e encontrei este que, certamente é, um dos meus passatempos favoritos: um jogo onde o participante tem que escrever o maior número de países em 12 minutos. É fantástico.

Vamos lá, é a sua vez! http://www.jetpunk.com/quizzes/paises-do-mundo

Vedettes de Paris


Barco por Paris
Um dos passeios que mais me emocionaram durante a minha estadia em Paris foi navegar de noite pelas águas do Rio Sena. Foi maravilhoso ver do barco todos os detalhes da cidade luz e ainda ser agraciada pela presença da lua ao lado da Tour Eiffel.

Mesmo para as viagens com o orçamento curto vale a pena o investimento afinal, do que adianta ir para Paris e não viver Paris?

Resolvi fazer o passeio de uma hora. O barco sairia da parada Tour Eiffel às 21hs. Na primavera é este o horário que começa a anoitecer na cidade. O passeio inclui áudio-guia em português.

Existem vários preços e eles estão condicionados ao serviço que você preferir à bordo. Escolhi o mais básico, o Discovery Cruise (apenas com o passeio), há também com champanhe crepe… Meu ingresso saiu por E$ 12,00 pois consegui um vale-desconto no papel informativo do meu hostel. Estudantes com a carteirinha internacional da ISIC possuem desconto em alguns dos passeios.

Minha dica é realmente fazer o passeio durante a noite, na parte da manhã, qualquer ônibus que você tomar poderá fazer praticamente o mesmo trajeto. O ideal é permanecer na parte superior do barco, onde é possível apreciar melhor a paisagem e tirar boas fotos. Obviamente que é o lugar onde todos querem ficar, então ao entrar na embarcação corra para garantir o seu lugar. Uma curiosidade é que os barcos do Rio Sena são classificados como Patrimônio Mundial pela UNESCO, ou seja, vale o investimento!

Confira imagens:

     Serviços:
logo

Vedettes de Paris: http://www.vedettesdeparis.fr

Conhecendo o Império Romano

6596204G1
Se eu pudesse dar um conselho de amiga para quem pretende conhecer os encantos de Roma, seria o de viajar pela história antes mesmo de colocar os pés por lá.

O documentário “Construindo um Império –  Roma”, produzido pelo canal de televisão History Channel é imprescindível para quem não conhece as tramas da evolução.

Ao visitar Roma senti falta de conhecer mais a fundo os fatos que marcaram a humanidade e entender a complexidade de cada monumento, tendo como ponto de vista o desenvolvimento da arquitetura.

Assim, logo que voltei para casa corri procurar estudar um pouco mais sobre tudo o que tive a oportunidade de conhecer. Nessa busca, encontrei esse registro que acredito ser de extrema importância. Recomendo!

The Monastery Hostel (Milão – Itália)

The Monastery Hostel
Via Bertoni, 3, Milão
http://www.themonasteryhostel.it

Milano HOstel

Visão geral | Localizado em uma das alas de um convento de frades franciscanos,  o The Monastery Hostel possui 14 quartos. Fiquei hospedada em um dos maiores, com 6 camas mistas (homens e muheres). A minha beliche ficava em um anexo, uma espécie de pequeno quarto. Era como um quarto para duas pessoas, o que realmente foi ótimo.

No geral, acho que eles não estão preocupados em fidelizar hóspedes. Percebi que o básico é oferecido, porém sem gentilezas. Quer mais? Pague. Simples assim.  Não tomei nenhum dia o café da manhã, pois sempre saia cedo. Não vi nenhuma mesa exposta. Sinceramente até onde eu sei não estava incluso, mas algumas pessoas me falaram que tinha croissant.

Atendimento |  Existem certas gentilezas que marcam o atendimento um estabelecimento. Não. Definitivamente este não foi o caso deste hostel. Ao chegar, exatamente 1 hora antes do check-in, pedi para deixar minha mala na recepção. Nos meus cálculos seria o tempo suficiente para encontrar algum lugar próximo e almoçar. Para o meu espanto fui informada que, para deixar a minha mala (uma única e pequena mala) seria necessário pagar 4 euros. Obviamente este não é o tipo de recepção que esperamos ao chegar em qualquer lugar. Preferi educamente rir, virar as costas e procurar um local para comer, acompanhada da minha fiel escudeira.

Outro fator que contribuiu para que o The Monastery Hostel caisse no meu conceito foi a falta de educação de um dos atendentes. Ao voltar de um passeio, ele me questionou qual era o meu quarto. Falei e ele perguntou onde estava a chave do meu armário. Disse que estava comigo, aí neste momento ele começou a fazer um escândalo, falando que eu não tinha permissão para sair com a chave, que alí era um hostel, que tinha regras e eu deveria respeitar. Imagine essa conversa em espanhol, no tom que os italianos costumam falar… Naquele momento descobri que, para sobreviver e ser respeitada na Itália deveria também alterar meu tom de voz e me manter firme nas discussões. Foi o que fiz. Achei no mínimo curiosa a insistência dele em querer a chave do armário, pois além deixar 20 euros (como depósito) caso eu a perdesse, lá dentro estava coisas valoriosas para a minha viagem e que eu não gostaria que ninguém mais tivesse acesso.

Obviamente fiz uma reclamação com outros atendentes do hostel, não apenas pelo sistema que acredito ser totalmente falho como também pelo atendimento rude do funcionário. Para amenizar, no decorrer da minha hospedagem passei pela recepção mandando beijos para ele, além de dizer que percebi a necessidade dele tirar folgas para relaxar 🙂

Pontos positivos | No quesito qualidade do sono é nota 10. Prédio com elevador. Banheiros e quartos limpos. Frigobar para guardar suas coisas. Internet nos quartos.

Pontos negativos | Toda a estrutura gira em torno do dinheiro. Sei que vivemos em um sistema capitalista, mas não ter copos na cozinha e cobrar 3 euros para um kit de talheres de plástico, já acho demais.

Localização | Ótima. Consegui fazer a maioria dos passeios à pé. Ele fica bem próximo à estação Turati do metrô, a apenas 2 estações da Stazione Milano Centrale, de onde saem os trens para Verona e Veneza e ônibus para o Aeroporto. Como fiz bate-volta para essas duas cidades, a proximidade com a estação central foi imprescindível.

Custo | € 71,40 para 4 diárias – Abril de 2014.

Pontuação (0 à 5)|

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...